quinta-feira, 29 de maio de 2014

Assim como nós

Alguém que não escreve poemas, nem contos, ou qualquer coisa que o valha.
Não sei,não dá para saber,não vivo lá dentro.Só escuto o que querem que o mundo ouça.
Nessa madrugada mais uma vez saí para fumar um cigarro.
Ouvi o que me é permitido escutar e o que não precisa de autorização além do imaginar. 
Por isso ouço, vislumbro.
Por mais uma vez me dirigi à esse nosso novo espaço de estar.Me perguntei cá com meus cigarros, o que faz esse ser que só de música se entorpece?
Te procurei e já não estavas.
Senti falta de sua implicância, com quem não lê, não se entorpece ou não escreve poemas.
Já no filtro refleti.
Não sei nada sobre os hábitos desse espírito que vive de músicas, nem sobre livros e poemas. Apenas ouvi o silêncio que tocava.
E no silêncio sem nossa ranhetice recordei seu murmurar:
"Pretinha, a vida é mais que isso. Veja cá eu com esse tanto de livros(e ácaros)"
Meu lindo, eu já com tantos filtros no cinzeiro e recipientes vazios de álcool, inspirei dentre meu restante de alvéolos e sopro de vida que me batem ao peito e pensei:
"Pretinho,a vida é mais que isso."